quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Como otimizar o tempo em viagens? 5 dicas!

Se você for como eu, gosta de curtir todo o processo de buscar a informação, organizar a informação, compilar a informação, tudo para tentar aproveitar ao máximo o passeio montando o melhor roteiro. Talvez eu seja metódico até demais para certas coisas, mas vou com a certeza de ter um roteiro bem estudado, com boa noção das distâncias, de tempos e movimentos. Vou tentar passar um pouco do que eu faço aqui nesse post, para mostrar como otimizar o tempo em viagens!

Dito isso, antes de sair falando sobre como eu geralmente tento fazer para otimizar o tempo em viagens, eu queria dizer que muitas vezes é importante saber se adaptar. Por exemplo, dependendo do destino, o melhor roteiro é nenhum roteiro! Punta Cana é um mega exemplo disso. O lance é chegar, se atirar na praia, curtir o resort, a piscina, aproveitar os restaurantes do all inclusive, experimentar todos os coquetéis do cardápio já que é tudo liberado...

Não precisa de horas de pesquisa e otimização de roteiro para curtir Punta Cana! Ou qualquer outro lugar paradisíaco em que o auge da viagem seja o mar azul turquesa, diga-se de passagem. Existem destinos feitos para relaxar, até na hora de montar roteiro!

Já em outros destinos, como um tour pela Europa, ou pela Ásia, ou pela América do Sul, enfim, com certeza um roteiro bem estudado irá melhorar a chance de aproveitar melhor os lugares visitados. Uma pesquisa irá ajudar, principalmente, a saber quanto tempo ficar em cada lugar, para que não seja nem pouco tempo nem tempo demais baseado no que se quer conhecer em cada cidade.

Vamos para a parte prática!

Quantos dias eu tenho que ficar em cada lugar? Bom, para ajudar com essa pergunta, é legal fazer duas coisas. A primeira é dar uma olhada no destino no www.tripadvisor.com que lista as atrações turísticas do lugar. Assim já dá pra anotar o que é imperdível. Depois, basta fazer uma busca no google por algo como "roteiro em Paris", ou "3 dias em Paris", ou "5 dias em Paris", e lá vão aparecer roteiros prontos para essa quantidade de tempo. O negócio é olhar alguns, e tentar mesclar eles para atender o que se quer fazer. Se não encontrar muitos em português, tente em inglês, se for tranquilo para você ler dicas em inglês. Com isso, use a tática do google maps que vou comentar mais abaixo para ver a ordem das coisas em um dia. Ou então, use o google maps para testar quanto tempo vai demorar para fazer o que está no roteiro encontrado pelo google. Tem vezes que um roteiro de 3 dias na verdade pode ser feito em 2 dias, pois quem fez esse roteiro de 3 dias deixou muito tempo de folga. Vai de cada um conseguir administrar o tempo no dia. Cuidar com lugares com horário para visitar. Já cansei de fazer isso, e muitas vezes é muito tranquilo fazer um roteiro de 3 dias em 2, ou um de 5 dias em 4, a menos que seja algo fora da cidade para visitar. Apenas remanejando o roteiro e a ordem das coisas, se consegue encaixar tudo em menos tempo!!!

Começar a organizar o roteiro! Geralmente começo a montar o meu roteiro numa planilha. Uso o google docs, de maneira que a planilha fique disponível na internet de qualquer lugar e acessível com qualquer dispositivo. Ou seja, minha planilha tá na tal da nuvem. Eu acesso ela com meu iPhone ou iPad de onde eu estiver. Se roubarem meu iPhone no meio da viagem, ela ainda estará lá para que eu acesse ela de alguma maneira. Também é possível fazer o download da planilha logo antes da viagem para que fique disponível offline, afinal nem sempre temos internet. Isso é bem fácil de ser feito através do app de planilhas do google. Tem uma opção para disponibilizar a planilha offline. Não vou mentir, mesmo nesse mundo cheio de tecnologia, não custa nada imprimir uma ou duas cópias e enfiar na mochila. Alguma hora no meio da viagem vai ajudar a programação estar na mão no bom e velho papel. As baterias dos smartphones podem nos deixar na mão.

Como vocês vão ver na imagem abaixo, primeiro eu faço uma tabela que me ajuda a ter noção do tempo (o que ajuda a ver quantas noites de hotel serão necessárias) e também noção dos gastos com transporte, passeios e comida. Se clicarem na imagem ela aparece em tamanho maior.


Talvez tenham percebido a data no formato americano, Essa viagem foi feita em Março desse ano, 2016. Até então eu não tinha descoberto que dava para alterar as configurações das planilhas do google para que o local fosse o Brasil e assim aceitasse as datas no nosso formato. É bem simples, só clicar em File, depois em Spreadsheet settings... e vai aparecer essa janela:


Basta alterar o Locale para Brazil. Se quiser que as planilhas do google fiquem com o menu totalmente em português, também pode ir ali embaixo no Display language e alterar para Português do Brasil. Acabei de fazer isso no meu pois também não tinha visto que tinha essa possibilidade. Agora não é mais menu File e sim menu Arquivo, e assim por diante. Vivendo e aprendendo.

Bom, voltando para a planilha. Essa que coloquei de exemplo foi de uma viagem para Miami esse ano para finalmente ir no ULTRA Music Festival. Um dos maiores e mais famosos festivais de música eletrônica no mundo, junto com a Tomorrowland na Bélgica. Eu sempre quis ir nesse negócio, e inclusive já tinha estado em Miami nos mesmos dias do evento mas não fui. Até que esse ano eu resolvi que de presente de 30 eu iria lá matar a vontade. Quase todos os melhores djs do mundo em 3 dias de festival. E, ao mesmo tempo, festas rolando por toda Miami no que eles chamam de Miami Music Week. Para quem não conhece o ULTRA Music Festival, é "apenas" um mega evento em pleno downtown Miami, num parque ao lado do Bayside Marketplace. Aqui tem um vídeo de 2015 que dá uma ideia do festival, o aftermovie desse ano ainda não saiu: https://www.youtube.com/watch?v=F0xoBUDUYyo

As minhas planilhas já tiveram vários formatos, mas esse é o que tenho usado agora. Na primeira coluna coloco a data, na segunda o dia da semana, na terceira a hora (dos voos normalmente, ou de algum passeio), na quarta coluna vai o local, na quinta o evento que está acontecendo naquela hora, na sexta coluna a hospedagem (para saber quantas diárias de hotel em cada lugar), depois transporte, passeio e comida e na coluna detalhe explico o que está incluído nos valores.

Como saber quanto colocar em cada coluna para cada dia? É aí que começa o trabalho de pesquisa para montar o roteiro. Vou voltar nessa pergunta depois. O que eu faço depois de montar essa primeira estrutura da viagem é anotar embaixo na planilha algumas coisas que me interessam, por exemplo, lugares que quero conhecer, restaurantes que gostaria de visitar, eventos que talvez estejam acontecendo por lá nas mesmas datas...anoto isso mais pro meio da planilha, algo mais ou menos assim:


Como eu falei, anoto as coisas mais perdidas no meio da planilha, e em seguida, na primeira coluna, começo a tentar organizar os dias. Esse exemplo acima foi de uma ida para New York, e como podem ver comecei a organizar o primeiro dia, uma quinta-feira, que por coincidência iniciaria com uma caminhada pela 5a avenida.

Como saber o que encaixar e onde? Para isso, uso outra ferramenta do google, o google maps! Com o maps eu consigo ver no mapa onde fica cada lugar de interesse, e assim fica mais fácil de tentar encaixar as coisas no roteiro para um dia. Se vou estar no Central Park perto da hora do almoço, preciso encaixar um restaurante que seja por ali para o almoço, não faz sentido colocar um lugar longe dali para almoçar. Essa é a lógica para seguir montando o dia completo.

Quanto tempo leva de um lugar para o outro? Uma outra coisa que o google maps ajuda a fazer é saber quanto tempo leva de um lugar para outro, tanto a pé, quanto de carro ou de transporte público. 


Nesse exemplo, o plano era começar o dia saindo do hotel onde estávamos hospedados, que era o Hotel Pennsylvania que aparece embaixo na imagem, e ir caminhando pela 5a avenida até quase uma esquina do Central Park, depois até uma lojinha que vende os melhores cookies do mundo, e atravessarmos o Central Park até um lugar para almoçar, que era do lado de uma estação de metrô onde poderíamos pegar a linha que leva até o Yankee Stadium para ver um jogo de baseball para o qual eu já tinha comprado ingressos pela internet aqui do Brasil e já tinha os ingressos em mãos baixados no celular. 

Nesse outro exemplo, queríamos ir numa feira de comidas no Brooklyn e também ver uns grafites legais por lá. Como era longe, utilizamos o metrô, e assim já sabíamos direitinho quais linhas tínhamos que pegar para chegar lá e quanto tempo levaria a viagem:


Lembre-se de usar o bom senso! A caminhada do primeiro exemplo do google maps acima, segundo a ferramenta, duraria 1h30. Talvez isso assuste alguns, mas eu estou acostumado a caminhar bastante quando viajo, então isso aí é normal. O importante é a lógica, usar o google maps para visualizar onde ficam os lugares de interesse pra tentar encaixar eles num roteiro ideal para o dia. O deslocamento pode ser feito de carro/táxi/uber ou transporte em comum...ou a pé. A parte do bom senso é para saber que não vai se levar apenas o tempo que aparece no google maps. Nesse exemplo, temos a 5a avenida. Essa avenida é uma avenida cheia de lojas. Cada vez que entrar numa loja é mais tempo que se soma ao passeio. Tente estimar quanto tempo irá gastar em atrações no meio do caminho, para conseguir estimar onde vai estar pela hora do almoço. Se tiver lugares onde gostaria de almoçar é o ideal para tentar encaixá-los. Se não tiver lugares na sua lista, não se preocupe com isso, vai aparecer algum lugar que vai despertar o interesse na hora. 

Leve os mapas! Como? Bom, para esses mapas do google maps, eu tiro prints e colo num documento do google. Mesmo princípio da planilha, uso os documentos do google pois ficam disponíveis a qualquer momento de qualquer lugar e qualquer aparelho. E assim como as planilhas, é possível ter uma versão offline no iPhone para quando ficar sem internet. Se preferir pode, também, imprimir o documento, mas nem sempre os mapas ficam legíveis assim, e pode acabar gastando tinta a toa. No smartphone ou tablet a gente consegue dar zoom com os dedos na tela, fica mais fácil de navegar pelos mapas.

E o valor para colocar em cada coluna (transporte, passeios, comida)?
Esqueceu que foi assim que isso tudo começou?
Calma! Agora que o roteiro está mais definido, fica mais fácil preencher os valores na tabela. Se vamos caminhar, provavelmente não teremos gasto de transporte. Se vamos usar o transporte público, podemos pesquisar no google o site oficial do transporte público no destino e buscar o valor da passagem. Se vamos usar uber (imagino que quem cair aqui já sabe o que é uber, caso contrário pode pesquisar no google também), bom, se vamos usar uber é super simples. Abra o uber no seu smartphone. Coloque o local de partida e coloque o destino e...voilà!


Como num passe de mágica sabemos quanto irá custar aquele deslocamento. Você pode clicar em "Definir local de partida" e conferir a estimativa de preço. Isso não chama o uber, pode ficar tranquilo! Eu fiz esse exemplo do meu sofá de casa no Brasil, não precisa estar no lugar para fazer o uber simular o trajeto. Para os passeios, geralmente os sites indicam o valor da entrada, ou se vamos contratar algum tour, o valor também é informado nos sites. Para a comida, tudo depende do que procura. Se for fazer lanche, comer em fast food, pode estimar um valor baixo, tipo U$ 10 por pessoa em uma viagem ao exterior ou uns R$ 25 por pessoa no Brasil. Se for a algum restaurante, pode tentar verificar no site do restaurante se consta o cardápio. Por vezes o valor está no site e, caso não esteja, tente estimar um valor de acordo com o local.

O que tem a ver estimar os gastos com otimizar o tempo na viagem? Ter uma boa noção dos gastos vai ajudar a pensar em quanto dinheiro levar em espécie, ou quanto vai precisar sacar por lá para passar os dias da viagem. Podemos também pensar em o que vamos pagar no cartão e deduzir isso de quanto precisamos ter em espécie, com alguma margem para o caso do cartão não ser aceito em algum estabelecimento ou algo assim. Com isso, não vai perder tempo atrás de casa de câmbio ou sacando mais dinheiro. Uma boa estimativa também ajuda a otimizar o uso do tempo!!!

Resumindo em 5 dicas...

  1. Anote tudo que gostaria de fazer! Depois usando o google maps comece a agrupar as coisas que ficam próximas umas das outras, para conseguir estabelecer um roteiro. Esse passo vai ajudar na escolha do hotel também! Tente ficar mais próximo da maioria das coisas que quer fazer.
  2. Coloque as coisas numa planilha! Para que consiga visualizar melhor a quantidade de dias da sua viagem, onde vai estar em cada dia, quantas noites precisa de hotel e quanto vai gastar em cada dia. Pode seguir o modelo que coloquei aqui de exemplo ou bolar a sua própria planilha. No passado eu fazia um dia por coluna e colocava nas linhas "manhã, tarde, noite". É outro jeito de se organizar.
  3. Brinque com o google maps! Para desenhar o roteiro e ter noção das distâncias e tempos entre cada lugar de interesse. Faça prints dos mapas e cole num documento do google.
  4. Estime os gastos com transporte, passeios, comida! Preencha a planilha e tenha uma boa noção de quanto dinheiro vai precisar levar, ou pense em quanto quer levar em espécie e o que pode pagar no cartão durante a viagem.
  5. Lembre de salvar a planilha e o documento para visualização offline! Isso é bem fácil de fazer nos apps de planilhas e de docs do google. Se puder, imprima uma cópia para colocar na mochila, não custa ter um backup.
E depois? Curta a viagem! Fique feliz com o seu roteiro! Aprenda a driblar as situações inesperadas e adaptar o roteiro na hora. Risque coisas menos prioritárias para conseguir fazer as que mais queria. Desista daquele jantar planejado e troque por um tele-pizza no quarto do hotel porque não aguenta mais caminhar. Deixe pra dormir na próxima vida e além de ir ao jantar ainda vá tomar uns drinks num bar legal que apareceu no caminho! Enfim, cada um sabe como levar o seu passeio. 

Melhore a sua planilha! Com o tempo e as viagens, você vai encontrar maneiras de melhorar a sua planilha. Adicione uma coluna hotel para anotar os gastos com as diárias de hotel. Adicione uma coluna de passagens, para colocar o valor gasto com avião, trens, ônibus, etc. Deixe a sua tabela com a sua cara. Eu tinha isso tudo em colunas, mas resolvi usar do lado para ter uma visão geral de gastos da viagem mais enxuta, com passagens, hotel, e uma terceira linha que soma essas que mantive na planilha (transporte, passeio, comida). Não coloco compras na conta, porque compras eu faço aqui também, é parte da vida, não um custo da viagem!
Uma coisa bem importante de se cuidar ao fazer um roteiro, é o horário de funcionamento dos estabelecimentos. Cuide para colocar as coisas certas nos dias certos e horários certos. Isso pode influenciar a programação do dia e evitar surpresas negativas como chegar em algum lugar e dar de cara com a porta fechada.

E outra coisa importante para finalizar, se possível, não encha muito os dias. Isso deixará margem de manobra para alterar o programa quando já estiver no destino. Seja antecipando atividades se o roteiro do dia se cumpriu antes do previsto, seja remanejando alguma atividade para outro dia caso algum dia o roteiro tenha ficado longo demais. No exemplo de New York que eu mostrei antes aqui, o plano era seguir isso:


Porém, as lojas foram abrindo na 5a avenida e levamos mais tempo que o planejado para subir toda a avenida. No fim das contas a lojinha dos melhores cookies do mundo ali na esquerda do mapa, a Levain (recomendo!), virou o café da manhã de outro dia de passeio, e o almoço que seria na Dean & DeLuca do outro lado do Central Park virou um balde de fried chicken no estádio dos Yankees para a gente não se atrasar muito no jogo =D

Boa sorte elaborando roteiros e se precisar de alguma ajuda ou tiver alguma pergunta, use os comentários aqui embaixo para interagir!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se for uma pergunta, tem certeza que a resposta não está no texto?